current time

quinta-feira, 30 de Março, 2017 - 19h30

website utilities

Arouca exalta atuação, mas nega ser carrasco corintiano

A grande atuação de Arouca na goleada santista sobre o Corinthians, por 5 a 1, na quarta-feira, continuou repercutindo nesta quinta. O jogador foi decisivo mais uma vez diante do rival, como na final do Paulista de 2011, quando marcou um dos gols que levaram a equipe da Vila Belmiro ao título. Agora, são três gols do jogador em 213 jogos pelo clube, sendo dois deles marcados contra o time corintiano. Mesmo assim ele nega o papel de "carrasco".

"Não, longe disso, não sou carrasco. Como você disse, foram 200 e poucos jogos e três gols. Tive felicidade de fazer dois no Corinthians. Mas procuro me esforçar, quando tenho oportunidade tentar fazer. Ontem, peguei na bola, ela desviou (em Ralf) e acabou entrando. O clima (do elenco) é o melhor possível. Temos que colocar os pés no chão, o ano está começando. Temos muito a crescer", disse.

A grande atuação rendeu até elogios do técnico Oswaldo de Oliveira, que deu "nota 11" para o volante. "Sobre o elogio, é sempre bom receber. A autoestima aumenta, a confiança também", comentou Arouca. "É muito gratificante para mim, chegar o treinador e depositar a confiança assim. Trabalhamos no Fluminense, mas não foi muito tempo. Neste pouco tempo, demonstrou carinho por mim."

O Santos vinha de duas vitórias e um empate neste Campeonato Paulista, mas até então não havia encantado a torcida. A atuação da última quarta serviu para lavar a alma da equipe, além de dar moral e melhorar o clima no vestiário. "O clima é o melhor possível por ser um clássico, contra o Corinthians, pela rivalidade, grandeza, vitória vencendo e convencendo. A autoestima está lá o alto, mas com pé no chão", apontou o volante.

Peça fundamental no meio de campo santista, Arouca demonstrou que não quer saber de ser poupado diante do Botafogo, neste sábado, na Vila Belmiro, pela quinta rodada do Paulista. "Estou me sentindo bem, não tive oportunidade de conversar com ele (Oswaldo de Oliveira). Amanhã ele vai passar quem deve poupar ou não. Não tenho sentido dor, só o cansaço normal do jogo, por ser dia seguinte. Com trabalho da comissão, vamos estar recuperados."