current time

segunda-feira, 27 de Março, 2017 - 03h39

website utilities

Cidadania

Maria do Rosário cobra a aprovação da PEC do Trabalho Escravo

A ministra da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário, participou hoje (11) de debate no lançamento de um livro em comemoração aos dez anos da Comissão Nacional Para a Erradicação do Trabalho Escravo (Conatrae), no Fórum Mundial de Direitos Humanos. Ela participou das discussões sobre os avanços e desafios no combate ao trabalho escravo no país.

Fórum Mundial: Brasil não puniu torturadores da ditadura

A compensação às famílias de vítimas de atos do Estado em regimes autoritários tem de ser feita pela promoção da Justiça. Essa foi a principal conclusão do debate sobre Justiça de transição no Brasil, hoje (11), no Fórum Mundial de Direitos Humanos (FMDH), em Brasília.

Fórum Mundial de Direitos Humanos tem minuto de silêncio em homenagem a Mandela

A abertura oficial do Fórum Mundial de Direitos Humanos hoje (10) foi marcada com um minuto de silêncio em memória ao ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela, que morreu na semana passada. Pelo microfone, anunciou-se que o evento é dedicado ao líder da luta contra o racismo. O silêncio foi seguido de palmas. O embaixador da África do Sul no Brasil, Mphakama Mbete, recebeu uma buquê de rosas brancas, como homenagem ao ex-presidente.

Juscelino foi vítima de conspiração, diz relatório da Comissão da Verdade de São Paulo

A Comissão da Verdade Vladimir Herzog, da Câmara Municipal de São Paulo, apresentou hoje (10) relatório que contradiz a versão oficial da morte do ex–presidente Juscelino Kubitschek, na qual consta que ele foi vítima de um acidente de carro. Segundo as investigações da comissão, Juscelino foi vítima de uma conspiração durante o período da ditadura militar, e sua morte foi planejada. O ex-presidente morreu em um acidente no dia 22 de agosto de 1976, na Rodovia Presidente Dutra, que liga São Paulo ao Rio de Janeiro.

Donas de casa contribuem à Previdência para se aposentar aos 60 anos

Todos os meses, a dona de casa Elenilda Roseno Nascimento tem uma preocupação a mais além dos cuidados domésticos e dos filhos. Ela, que também trabalha como diarista, não deixa de pagar o carnê da Previdência Social para ter condições de se aposentar. “Eu pago, às vezes vai meu marido, outras vezes vai a minha filha. Não pode é deixar de pagar nunca, de jeito nenhum, porque a gente não sabe o dia de amanhã”, ressaltou Elenilda.

Discriminação e opressão serão temas de fórum mundial em Brasília

A capital federal sediará nesta semana o Fórum Mundial de Direitos Humanos, de terça-feira (10) a sexta-feira (13). Serão conferências, debates temáticos e atividades que contarão com a presença de autoridades, intelectuais e profissionais reconhecidos internacionalmente. O objetivo é promover uma reflexão acerca do tema e a estimativa é que 8 mil pessoas de todo o mundo participem do evento. Ao longo da semana será possível acompanhar pela Agência Brasil as principais discussões.

Para especialistas, Brasil vive momento decisivo para garantir direitos humanos

Para especialistas, o Brasil passa por um momento crítico para a garantia de direitos humanos. Os eventos esportivos que o país sediará – a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016 - e as grandes obras, como a Usina de Belo Monte, são decisivos também para uma revisão do modelo de crescimento que o Brasil deseja seguir. Na última quinta-feira (5), o Portal EBC fez um bate-papo online com debatedores do Fórum Mundial de Direitos Humanos, que ocorrerá de terça-feira (10) a sexta-feira (13).

Casamento coletivo reúne 130 casais homoafetivos no Rio

Vinícius Lisboa

Repórter da Agência Brasil

 

Rio de Janeiro – O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro celebrou hoje (8) "o maior casamento mundial coletivo de casais homossexuais", no auditório da Escola de Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (Emerj), segundo a organização do evento. A cerimônia contou com 130 casais homoafetivos, conforme os organizadores.

 

Colômbia necessita de política eficaz de atendimento às vítimas de conflitos

A Colômbia vive um dos mais antigos conflitos armados e tem um histórico de massacres e crimes de direitos humanos e de lesa–humanidade. O desafio no país é colocar as vítimas no centro da temática da solução de conflitos. “Mais que as identificar, investigar, atribuir e reconhecer responsabilidades, o Estado deve ser capaz de atender às pessoas e de promover ações eficazes no pós-trauma”. Essa é a visão do professor e cientista político colombiano Alejo Vargas Velásquez, um dos palestrantes do Fórum Mundial de Direitos Humanos (FMDH), que ocorrerá em Brasília, de 10 a 13 de dezembro.

Páginas