current time

sábado, 25 de Março, 2017 - 22h38

website utilities

Economia

Bovespa tem pior janeiro em quase 20 anos

A Bovespa largou muito mal em 2014, depois de já ter levado um tombo em 2013. Janeiro deste ano foi na contramão da tradicional performance positiva da renda variável brasileira no primeiro mês do ano, e acumulou perdas de 8,28% até a quinta-feira, 30, no pior desempenho para o mês desde de 1995, quando caiu 10,77%, segundo levantamento da Economatica, a pedido do Broadcast, serviço de informações da Agência Estado.

Atacado puxa melhora da confiança do varejo, diz FGV

A melhora na confiança do comércio no trimestre até janeiro, verificada pela Fundação Getulio Vargas, foi determinada principalmente pelo otimismo maior no atacado, que corresponde a um terço do total de estabelecimentos apurados na Sondagem do Comércio. No trimestre até janeiro, o setor registrou alta de 0,2% na confiança em relação a igual período do ano anterior. Nos três meses até dezembro, essa variação havia sido de -5,0%, na mesma base.

FGV: confiança do comércio cai no trimestre até janeiro

O Índice de Confiança do Comércio (Icom), divulgado pela Fundação Getulio Vargas (FGV), nesta sexta-feira, 31, caiu 1,6% na comparação com igual período de 2013. Em dezembro, a taxa trimestral interanual ficou em -3,0%. O resultado é o melhor desde o trimestre findo em fevereiro de 2013, quando o índice caiu 0,9% em relação a igual período do ano anterior.

Bancos 'travam' cadastro positivo

Pedido antigo do setor financeiro para reduzir os juros cobrados nos empréstimos, o cadastro positivo completa seis meses de funcionamento sem adesão significativa dos consumidores. A lista de bons pagadores esbarra no comportamento dos bancos, que não se empenham, como anunciaram, em compartilhar informações sobre seus melhores clientes. O governo, responsável pela regulamentação e implementação do cadastro, evita comentar o assunto.

Sindicatos criticam MP que altera trabalho temporário

O governo Dilma Rousseff não terá vida fácil para implementar a Medida Provisória (MP) que flexibiliza o trabalho temporário. A medida, como antecipou na quinta-feira, 30, o jornal O Estado de S. Paulo, cria um regime novo de contratação de mão de obra: por 14 dias, até o limite de 60 dias por ano, em todos os setores, em qualquer região do País. Mas dirigentes sindicais reagiram de forma dura à proposta, formulada a partir de demanda do Palácio do Planalto.

Inflação ao produtor francês avança 0,2% em dezembro

O índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) da França avançou 0,2% em dezembro, na comparação com novembro. No décimo primeiro mês do ano, o PPI havia marcado alta de 0,5% ante outubro.

Na comparação anual, o índice permaneceu inalterado em dezembro, segundo dados da agência de estatísticas nacional, Insee.

Vendas no varejo da Alemanha recuam em dezembro

As vendas no varejo da Alemanha recuaram 2,4% em dezembro em relação ao mesmo período do ano anterior informou o escritório de estatísticas do país.

Além disso, as vendas no varejo caíram 2,5% em dezembro ante novembro, resultado bem pior do que as expectativas do mercado. A previsão indicava que as vendas ficariam estáveis em dezembro frente ao mês imediatamente anterior. Os dados levam em consideração efeitos sazonais e a inflação.

Fitch confirma rating da Rússia em "BBB"

A Fitch confirmou nesta sexta-feira o rating de dívida de longo prazo em moeda local e estrangeira em "BBB", com perspectiva estável.

A decisão da agência de classificação de risco foi determinada pela baixa dívida do governo e pelos ativos externos líquidos soberanos de 23% produto interno bruto (PIB).

Já a perspectiva para o rating da Rússia é estável, porque a Fitch não prevê atualmente uma alta probabilidade de conduzir uma alteração de classificação.

Produção industrial do Japão avança 1,1% em dezembro

A produção industrial do Japão avançou 1,1% em dezembro em relação ao mês imediatamente anterior, informou hoje o Ministério da Economia, Comércio e Indústria do país. Em novembro, a queda foi de 0,1% na mesma base de comparação.

Economistas ouvidos pelo The Wall Street Journal e Nikkei previam alta de 1,3% na produção industrial.

Na comparação com dezembro de 2012, a produção industrial japonesa avançou 7,3% no décimo segundo mês de 2013.

Taxa de desemprego do Japão recua em dezembro

A taxa de desemprego no Japão recuou para 3,7% em dezembro, de 4% reportado no mês imediatamente anterior. O resultado ficou abaixo das expectativas dos economistas, que esperavam uma taxa de desemprego de 3,9%.

O número de pessoas ocupadas no Japão em dezembro foi de 63,19 milhões, um aumento de 910 mil em relação ao mesmo período do ano anterior, o que corresponde a aumento de 1,5%. Em dezembro, o número de pessoas desempregadas foi de 2,25 milhões, uma redução de 340 mil ou 13,1% em relação a dezembro de 2012.

PMI industrial do Japão sobe para 56,6 em janeiro

A provedora de dados Markit e a Nomura/JMMA informaram que o índice de atividade dos gerentes de compra (PMI, na sigla em inglês) do setor industrial do Japão cresceu a um ritmo mais rápido em janeiro. O índice avançou para 56,6 na leitura de janeiro, de 55,2 em dezembro.

Este é o décimo mês seguido que o indicador fica acima de 50, o que indica expansão da atividade. Com a marca, o PMI atinge o nível de expansão mais expressivo desde fevereiro de 2006.

Núcleo da inflação do Japão sobe 1,3% em dezembro

O núcleo do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) do Japão avançou 1,3% em dezembro em comparação com o mesmo período do ano anterior, indicando que a economia do país segue firme para se estabilizar fora da deflação.

O resultado ficou ligeiramente acima das previsões dos analistas consultados pela Dow Jones Newswires e pelo diário Nikkei que esperavam alta de 1,2% no décimo segundo mês do ano. Em novembro, a inflação havia subido 1,2%.

Páginas