current time

sexta-feira, 24 de Março, 2017 - 09h02

website utilities

Mundo

Papa diz a Dilma que ficou comovido com tragédia em Santa Maria

Ao se reunir com a presidenta Dilma Rousseff hoje (20), o papa Francisco se disse comovido com a tragédia ocorrida em Santa Maria (RS), no dia 27 de janeiro, que deixou 241 mortos. Segundo a presidenta, Francisco elogiou a forma como o Brasil reagiu à tragédia: com força e ternura. Dilma foi a primeira chefe de estado recebida por Francisco, depois da cerimônia que marcou ontem (19) o início do seu pontificado.

Papa diz a Dilma que combate às drogas depende de empenho conjunto e reforço de valores para a juventude

Renata Giraldi
Enviada Especial da Agência Brasil/EBC

Vaticano – O papa Francisco disse hoje (20) à presidenta Dilma Rousseff que é necessário empenho conjunto para combater as drogas e reforçar os valores e os princípios para a juventude. Dilma foi a primeira chefe de Estado recebida por Francisco, depois da cerimônia que marcou ontem (19) o início do seu pontificado. Na conversa, o papa lembrou que a construção do futuro depende da juventude.

Venezuela cria mecanismo para conter mercado paralelo do dólar

O Banco Central na Venezuela detalhou nesta terça-feira (19) como será o novo mecanismo para combater a especulação monetária e conter o mercado paralelo do dólar. No país, o dólar oficial vale 6,30 bolívares, mas paralelamente o valor comercializado chega a U$ 1 por até 24 bolívares.

Para fortalecer o comércio e conter a especulação, o governo anunciou a criação do Sistema Complementário de Administração de Dívidas (Sicad), que promoverá leilões públicos de recursos para empresas privadas que necessitem importar.

Dilma vai conversar com papa sobre Jornada Mundial da Juventude

O tema central da conversa da presidenta Dilma Rousseff com o papa Francisco, na audiência particular que terá com ele, amanhã (20), às 11h (7h de Brasília), deve ser a Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro, que ocorrerá de 23 a 28 de julho. Dilma lembrou que a jornada atrairá católicos de vários países que serão “muito bem recebidos” pelos brasileiros. Segundo ela, a decisão do papa em apoiar os pobres e mais frágeis é motivo de orgulho para o mundo, sobretudo para os latino–americanos.

Páginas