current time

sexta-feira, 24 de Março, 2017 - 07h18

website utilities

Não há crise da meia-idade dos BRICS, diz Mantega

Guido Mantega (foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / ABr)

Guido Mantega (foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / ABr)

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, nega a avaliação de que os países emergentes dos BRICS estão em "crise de meia-idade". Em painel do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, nesta quinta-feira, 23, o ministro brasileiro atribuiu a desaceleração dos países à crise nos países desenvolvidos, tradicionais compradores de produtos das nações emergentes. "Não há crise de meia-idade nos BRICS, há uma crise mundial que afetou os BRICS. Houve redução da demanda internacional, do comércio exterior, o que afetou os BRICS", disse Mantega. 

Para o ministro, os grandes emergentes continuarão a liderar o crescimento da economia mundial pelos próximos anos. Mantega explica que a recuperação das economias desenvolvidas e as reformas em emergentes garantirão o papel deles no futuro da economia global. "A economia mundial e os países avançados perto da recuperação. Essa recuperação externa ainda é gradual, ainda é lenta. Mas com essa recuperação teremos uma reativação do crescimento do comércio", disse Mantega.

Na avaliação de Mantega, o comércio global, que crescia a um ritmo anual entre 6% e 7%, deve desacelerar para um ritmo de até 5%. "O comércio global crescia entre 6% e 7% ao ano antes da crise, sem contar os preços das commodities. Daqui para frente, o comércio global vai crescer 4% ou 5%. Não será o mesmo do passado. Mas acho que os BRICS vão continuar liderando a crescimento da economia mundial", disse.