current time

sábado, 25 de Março, 2017 - 22h33

website utilities

Aplicativo controla o seu vício por smartphones

Foto: Team Menthal / YouTube

Foto: Team Menthal / YouTube

Seja em casa, no ónibus, no metro ou mesmo durante o jantar, os smartphones estão sempre por perto, prontos para satisfazer as necessidades de seus usuários. 

Preocupados em identificar até que ponto o “vício por celulares” pode ser prejudicial para a saúde, investigadores da Universidade de Bona, na Alemanha, criaram um aplicativo que promete medir o seu vício.

Disponível para Android, o “Menthal” monitora o tempo que o usuário fica no celular, analisando quais os aplicativos e comandos mais utilizados no smartphone. Em seguida, organiza estatisticamente as informações recolhidas, mostrando se o aparelho está sendo usado de forma exagerada ou não.

De acordo com um estudo de mercado feito pela Flurry, em média os usuários de smartphones passam 2 horas e 38 minutos por dia usando seus celulares.

Para comprovar estes resultados, uma equipe de psicólogos e cientistas de computação liderados porAlexander Markowetz, professor de Ciências da Computação, estudou durante 6 semanas o comportamento de 50 estudantes ao usarem  smartphones.

Durante este período, mais de um quarto dos estudantes usaram o telefone por mais de duas horas por dia. Além do tempo de uso, gastaram cerca de 12 minutos diários a verificar os celulares – em média, 80 vezes por dia.

A maioria dos alunos usaram o aparelho para enviar mensagens, acessar às redes sociais e jogar.

O “Menthal” se baseia nas atividades desempenhadas pelos usuários para determinar os resultados. Por exemplo, caso o utilizador passe muito tempo no Facebook através do celular, trocando mensagens com amigos, o aplicativo vai entender o comportamento como algo positivo. O uso da rede social pode mostrar que a pessoa mantém um círculo de amizade ativo, o que contribui para a boa disposição do usuário e seu estado de espírito.

“Suspeitamos que o uso pode mudar durante uma fase depressiva. Os pacientes farão menos ligações e tenderão a sair menos de casa”, explica à CNET o professor Thomas Schläpfer, líder da equipe que criou o app.

“Se isso pudesse ser monitorizado – com a permissão dos usuários e de acordo com as leis de privacidade – poderia ajudar os médicos a prever algumas intervenções”, acredita o professor.

 

Veja aqui o vídeo de apresentação do aplicativo e faça download da versão Beta no Google Play Store. Mas antes, fica a questão: você está controlando o seu celular ou o seu celular está te controlando?