current time

sábado, 25 de Março, 2017 - 04h40

website utilities

Protestos

Rodovias estão liberadas nas regiões de Campinas

Terminou em confronto um protesto feito por moradores do bairro Campo Belo, em Campinas, que terão seus imóveis desapropriados pela ampliação do Aeroporto Internacional de Viracopos. Eles fecharam, por volta das 7h, a rodovia Miguel Melhado Campos (SP-324), que liga o aeroporto a cidade de Vinhedo. Em outros quatro pontos houve protesto nas rodovias da região de Campinas, na manhã desta quinta-feira, 11, no "Dia Nacional de Luta"

Manifestantes começam a se concentrar na Candelária para passeata do Dia Nacional de Luta

Cerca de 100 pessoas já estão reunidas na Candelária, ponto de concentração da passeata promovida pelas centrais sindicais, para marcar o Dia Nacional de Luta no Rio. Os manifestantes, em sua maioria, usam camisetas das centrais sindicais e portam bandeiras das entidantes às quais são filiados, além de balões da União Geral dos Trabalhadores (UGT).

Parte dos bancários adere a paralisações em SP

As manifestações que ocorrem nesta quinta-feira, 11, nas principais cidades do País, dentro do movimento que está sendo chamado de Dia Nacional de Luta, conta com a adesão de trabalhadores de bancos. Segundo a assessoria de imprensa do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, há aproximadamente 50 agências fechadas na região da Avenida Paulista. A presidente do sindicato, Juvandia Moreira, disse que os trabalhadores precisam se mobilizar. "Os bancários estão juntos nessa luta."

Manifestantes saem em passeata da Avenida Paulista até a Praça Roosevelt

Os manifestantes saíram em passeata, por volta das 15h, da Avenida Paulista até a Praça Roosevelt, em uma caminhada de cerca de 5 quilômetros. Segundo a Polícia Militar, aproximadamente 7 mil pessoas bloqueiam neste momento o sentido centro da Avenida Paulista, na altura do Museu de Arte de São Paulo (Masp), no ato unificado das centrais sindicais no Dia Nacional de Luta.

Ideli: Manifestações devem respeitar 'ordem e progresso'

A ministra-chefe da Secretaria de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, disse nesta quinta-feira que as manifestações que tomam conta do País devem respeitar o lema da nossa bandeira - ordem e progresso. A própria presidente Dilma Rousseff já havia recorrido ao lema "ordem e progresso" ao discursar no início do mês, quando caminhoneiros bloqueavam acesso a rodovias.

Manifestantes fecham Avenida Paulista nos dois sentidos

Cerca de 4 mil pessoas, segundo cálculo da Polícia Militar, bloqueiam nesta tarde os dois sentidos da Avenida Paulista, na altura do Museu de Arte de São Paulo (Masp), local em que centrais sindicais realizam ato unificado do Dia Nacional de Luta. O protesto reúne as mais diferentes categorias, como bancários, metalúrgicos, professores, químicos, guardas municipais e motoboys.

Em Brasília, manifestantes protestam na Esplanada e MST ocupa o Incra

Trabalhadores do Distrito Federal (DF) participaram hoje (11) de manifestação na Esplanada dos Ministérios, em apoio ao Dia Nacional de Luta. Além dos protestos na Esplanada dos Ministérios, pela manhã cerca de 500 representantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra do DF (MST–DF) e do entorno ocuparam a sede nacional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

Sindicalistas criticam condução da política econômica

O presidente da Força Sindical, deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho(PDT-SP), afirmou que o ato organizado para esta quinta-feira, 11, pelas centrais sindicais do País é também contra a política econômica e sugeriu a demissão do ministro da Fazenda, Guido Mantega. "Ninguém mais liga para o que o Mantega fala", opinou.

Presidente do Conlutas quer propor greve geral neste ano

O presidente do CSP Conlutas, José Maria de Almeida, o Zé Maria, afirmou que caso o governo não atenda as reivindicações das centrais sindicais ele vai propor para as demais entidades a convocação de uma greve geral ainda este ano. "Se (o governo) não ouvir o próximo passo é a convocação de uma greve geral", disse.

Rio Grande do Sul é o estado com maior número de bloqueios de rodovias

Além dos 25 pontos de interdição em rodovias federais em todo o país, devido ao Dia Nacional de Luta, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou outros 17 pontos também bloqueados. No Rio Grande do Sul, estado em que até o momento há mais vias bloqueadas, foram registradas mais duas ocorrências: no quilômetro (km) 164 da BR-386, próximo a Caraizinho; e no km 80, na BR-468, no município de Santo Augusto.

Homem é atropelado durante bloqueio de rodovia no Rio Grande do Sul

Um homem foi atropelado na manhã de hoje (11) durante protesto na BR-116, no km 252, em Sapucaia do Sul, região metropolitana de Porto Alegre. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o acidente ocorreu por volta das 4h30, quando um grupo de aproximadamente 100 manifestantes, do qual ele fazia parte, montava um bloqueio no local.

Em Alagoas, algumas rodovias interditadas já foram liberadas

Em Alagoas, apenas em Rio Largo, no quilômetro (km) 91 da BR–104, a pista continua totalmente interditada por manifestantes do Movimento Nacional de Luta pela Moradia e Via do Trabalho, segundo a assessoria da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Eles reivindicam a construção de mais casas.

A PRF informou, também, que pela manhã, em Flexeiras, no km 51 da BR-101, a pista foi totalmente interditada pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Eles pediam mais recursos para a educação e a construção de casas.

Páginas